Follow me:

    Como as marcas crescem

    O marketing é recheado de alguns dogmas. Frases que são repetidas, mas que poucos têm certeza se são comprováveis. Muito desejo e pouca ciência envolvida. O ciclo de repetições contínuas acaba por estabelecer uma percepção de verdade. Vamos a um teste rápido:

    1. Diferenciar a marca é uma tarefa crucial do marketing?
    2. Os indicadores de fidelidade refletem a força, não o tamanho da marca?
    3. É mais barato reter um cliente do que conquistar um novo?
    4. O marketing de massa está morto?
    5. Nossos consumidores são um tipo especial e bem característico de pessoa?

    Se você respondeu sim para as 5 perguntas acima, se encaixa em um leitor adequado para o livro Como as marcas crescem.

     

    O marketing precisa de mais ciência e menos achismo

     

    Essa é a grande defesa do livro e dos estudos de Byron Sharp e sua equipe. Com farto material, o texto desconstrói as bases do que o autor chama de marketing Kotleriano. Aquele que defende a segmentação dos clientes, o agrupamento em perfis bem próprios do seu grupo alvo, a diferenciação de marca e a busca por fidelização. Sharp demonstra que o segredo para o crescimento é na verdade a expansão da base de clientes, com o marketing de massa. Os clientes de marcas diferentes entre si são na verdade muito iguais e a fidelidade é uma ilusão escondida em algum canto inexistente. Marcas devem perseguir saliência, criar disponibilidade mental nas pessoas e associações fortemente baseadas em seus ativos. Para alguns o livro é verdadeiro, para outros é exagerado. No entanto, mesmo que talvez tenha envelhecido mal (é de uma era aonde as ações de marketing digital eram muito incipientes) é uma leitura muito interessante e provocadora. Aproveite!

  • Frumar

    “Há um tempo sentíamos a necessidade de um trabalho de reposicionamento de marca na nossa empresa, um trabalho completo, com…

    Testemunhais
    / dezembro 9, 2020
  • Hit Makers

    Como músicas se tornam sucessos globais? De que forma alguns filmes viram blockbusters? Qual é o futuro das mídias? Essa…

    Dicas de leitura
    / dezembro 2, 2020