Follow me:

Longos invernos pedem cabeças ocupadas

O mundo é cheio de lugares remotos. E invariavelmente há alguns humanos por lá desafiando à natureza. Prova que nos adaptamos a qualquer situação e por isso vencemos neste planeta. Entre esses lugares estão as Ilhas Falkland, cuja controvérsia pelo nome (alguns, a chamam de Ilhas Malvinas, especialmente argentinos) segue as disputas sobre sua real soberania. Independente sobre a quem pertençam, há uma certeza sobre esse lugar. Frio, chuva, neve, umidade e vento (muito vento). A chuva é regra em mais da metade dos dias do ano e queda esporádica de neve em qualquer estação. Normalmente o céu está nublado e a temperatura fria. Em torno de apenas 3.000 pessoas habitam o lugar entre milhares de pinguins, sendo uma das mais baixas densidades populacionais do planeta.

O princípio de uma boa estratégia é sobreviver e vencer no terreno que tiver que disputar. Capacitar sua empresa e sua marca a responder os desafios e entregar valor para o público que foi selecionado. Direcionar os esforços e concentrar naquilo que é importante e vai fazer a diferença entre prosperar e ser mais um no mercado. Como tudo que foi colocado até aqui, fica claro que antes de tudo se faz necessário entender muito bem o terreno em que está, o clima da competição e as angústias, dores e expectitativas de quem deveria fazer negócios contigo.

 

Qual o valor mais importante para as pessoas?

 

O pequeno varejo local das Falklands fica concentrado em sua pequena capital Stanley, com seus 4 pubs, 3 restaurantes e 11 hotéis e hospedarias. Entre suas lojas, um item é procurado com avidez pelos compradores locais: quebra-cabeças. O varejista que deixa de ter esse item no estoque, perderá uma oportunidade certa de venda. Além do item propriamente dito, há uma característica extremamente valorizada pelos moradores. Os quebra-cabeças devem ter o maior número possível de peças e assim garantir algumas semanas (ou meses) de entretenimento. Com a certeza que assim que finalizado, o primeiro passo será ir a loja para adquirir um novo.

Entender o contexto do público é crítico para uma boa escolha estratégica. Valor não é o que você acha que sua empresa tem. É o que eles percebem do outro lado. Tudo que é valor para você mas não é percebido pelo público vira mero custo desnecessário. Te coloca um pouco mais fora do jogo e não dentro dele. Além de empurrar seu preço para onde não deveria ir. Então quando sua marca elaborar a curva de valor da estratégia, a mesma deverá ser ponderada a partir de uma perspectiva externa. As escolhas dos poucos pontos aonde a marca se destacará em detrimento dos vários em que não colocará ênfase, contará com a percepção de quem toma a decisão de escolha.

 

A escolha é sua sobre o que pode fazer sua marca diferente

 

Se fosse um varejista da pequenina Stanley o que faria? Encheria seu estoque de quebra-cabeças como seu vizinho de loja? Ou por outro lado pensaria em uma oferta diferente e única que pudesse entreter os habitantes entendiados pelo clima? E o que seria? São essas perguntas que irão orientar a estratégia do varejo local. E com o paralelo feito, guiarão a estratégia da sua marca. Lembre-se, é importante conhecer o lado de fora, mas chegará o momento aonde a escolha será integralmente sua. Todos podem ter leituras semelhantes do ambiente e do público. O que irá diferenciar no final será o que fizer com essas informações para conduzir sua marca e o branding.

 

Previous Post Next Post

You may also like

No Comments

Leave a Reply